O samba está de luto. Morreu na noite desta segunda-feira, dia 16, uma das maiores representantes do gênero, Dona Ivone Lara. Problemas de insuficiência cardiorrespitratória seriam as causas do falecimento. 

divulgação

Créditos: divulgação

Dona Ivone Lara foi uma das maiores figuras da música brasileira

Ivone foi uma das primeiras mulheres a compor para o grupo de elite das escolas de samba carioca. Cantava, compunha samba-enredo e de terreiro, tocava instrumento - o cavaquinho - e dançava um miudinho inigualável. Trouxe refinamento musical para o gênero e garantiu às mulheres que lhe seguiam respeito e mais igualdade em um universo predominantemente masculino. Filha de Oxum, ela é também do candomblé.

Trabalhou com terapia ocupacional por 37 anos - sempre ao lado da médica Nise da Silveira - usando a música como ferramenta para o tratamento de portadores de transtornos psíquicos. Depois dedicou-se à carreira artística, levando o seu samba por todo o país e por quatro continentes. Foi consagrada com prêmios e as suas composições são eternas na sua voz, na de outros artistas e no nosso imaginário.

Em 2015, a rainha maior do samba recebeu diversas homenagens como a Ocupação Dona Ivone Lara, que contou com a curadoria da equipe do Itaú Cultural, do músico Tiganá Santana e do jornalista Lucas Nobile, o projeto Sambabook e a publicação do livro "Dona Ivone Lara - A Primeira Dama do Samba", de autoria de Nobile.